Viagem sem receios.

Viagem sem receios.

Quando o assunto é saúde não há nada melhor do que consultar um médico para esclarecer possíveis dúvidas, especialmente se elas envolverem uma viagem, momento em que o objetivo é relaxar e se esquecer de todos os problemas. O Dr. Vagner Sanches Nakayama, Clínico Geral, foi convidado para desmitificar algumas questões que vira e mexe estão em pauta por aí. Vamos conferir algumas?

O ideal é passar protetor solar de duas em duas horas?

VERDADE. A primeira aplicação do protetor solar é a mais importante, e deve ser feita sem roupas, sem transpiração e com a pele limpa, espalhando pelo corpo todo, incluindo orelhas, nuca, mãos e dorso dos pés. Caso esteja na piscina ou na praia, a reaplicação deve ser adotada, sim, neste intervalo de tempo, e sempre depois de se enxugar com uma toalha.

É preciso esperar uma hora antes de entrar no mar ou na piscina depois de comer?

VERDADE. Se considerarmos uma refeição completa, é prudente esperar até mais, pois, de modo geral, podem ocorrer possíveis alterações relacionadas à digestão, como hipotensão arterial e baixo fluxo sanguíneo cerebral, por exemplo, sintomas esses que podem ocasionar mal súbito e levar à perda de consciência. No caso dos banhos de imersão pode ser fatal se não houver socorro imediato.

A gravidez deixa a mulher mais propensa a sentir enjoos durante as viagens?

MITO. Não há correlação. No entanto, como os enjoos são mais comuns no primeiro trimestre da gestação, o recomendável é viajar entre a 14ª e a 20ª semana, quando são mais fracos e também há menos chances de aborto espontâneo. Vale lembrar que a partir da 36ª semana de gestação algumas companhias aéreas só autorizam o embarque mediante liberação médica.

Descer a serra mascando chiclete ajudar o ouvido a não entupir?

VERDADE. Pode ajudar, sim, uma vez que o movimento da mandíbula na mastigação contribui para o nivelamento da pressão do chamado ouvido médio, aliviando a sensação de entupimento.

Recém-nascidos podem ter o tímpano prejudicado devido à pressão de pouso e decolagem?

MITO. Não há contraindicações para viagens de avião, apesar de os bebês com até três meses terem o sistema imunológico ainda imaturo, devendo evitar ambientes fechados. Contudo, eles podem enfrentar muitas horas em um voo sem grandes problemas. Assim como acontece em adultos, podem ocorrer desconfortos devido à mudança de altitude e pressão. A solução é simples: fazê-los movimentar a mandíbula, seja incentivando-os a mamar ou a usar a chupeta.

Respirar o ar “reciclado” que circula pela cabine do avião pode causar doenças?

VERDADE. Estudos realizados em diversos países atestam que a qualidade do ar dentro dos aviões é geralmente inadequada e favorece o aparecimento ou o agravamento de diversos problemas de saúde. Manter-se hidratado é importante, com boa ingestão de água, hidratante labial e colírio lubrificante. Pacientes dependentes de oxigênio domiciliar devem ter consigo um oxímetro portátil e aumentar o fluxo de oxigênio, de modo a manter uma saturação maior ou igual a 9,2%.

As máquinas de raios-x dos aeroportos causam algum tipo de dano à saúde?

MITO. Segundo a Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), a emissão de radiação desses equipamentos não é suficiente para causar danos à saúde.

Comer maçã ajuda no enjoo de viagens de navio?

VERDADE. Especialistas concordam que alguns alimentos ricos em fibra, como a maçã, costumam aliviar ou evitar os sintomas por ajudarem no processo digestivo e auxiliarem o organismo a “limpar” as substâncias que favorecem as náuseas.

 

Gostou das dicas? Esperamos que você aproveite ao máximo sua viagem.

Compartilhe este post

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

quatro × dois =